Blog

Fique por dentro dos assuntos

Saiba como elaborar um diagrama unifilar
31
jan

Uma instalação elétrica de qualidade é uma das principais necessidades em qualquer construção. Um diagrama unifilar é uma das principais ferramentas para facilitar a elaboração de toda a instalação elétrica de uma obra. Entenda seu funcionamento e como elaborar um.

O que é um diagrama unifilar?

Um diagrama unifilar é um desenho técnico que representa uma instalação elétrica, feito sobre a planta arquitetônica. Esse desenho apresenta:

– Os pontos de luz;

– As tomadas e interruptores;

– Os quadros de distribuição;

– A divisão dos circuitos;

– A posição dos eletrodutos;

– A quantidade e o tipo dos condutores dentro dos eletrodutos.

Esses elementos são representados por uma simbologia específica, estabelecida pela ABNT.

Como funciona?

A diferença do diagrama unifilar para outros tipos de diagramas elétricos é que ele fornece uma representação muito mais simples e concisa, de fácil entendimento para a instalação: além de estabelecer as características que compõem o circuito elétrico, o diagrama também representa o caminhamento físico da rede elétrica, mostrando o número de condutores e seus trajetos com uma única linha ligando os símbolos, facilitando sua visualização na planta.

É importante entender que esse traço único que liga todos os componentes na planta não representa um único fio, mas sim todos os fios que passam por aquele eletroduto.

O diagrama permite evitar problemas com a instalação no futuro, pois por meio dele é possível perceber se há excessos nas caixas de passagens de fios e eletrodutos, prevenindo sobrecargas e inflamabilidade. Além disso, é possível planejar as caixas em locais de fácil acesso e evitar emaranhados de fios nas paredes.

Como elaborar um diagrama unifilar?

Primeiramente, é preciso possuir a planta arquitetônica do local, com todas as medidas que permitam calcular a área e o perímetro dos cômodos. Com base nesses cálculos, são determinadas as quantidades de lâmpadas, tomadas e interruptores necessários, e o local de cada um deles. Esses elementos devem, então, ser conectados por uma tubulação de eletrodutos.

Todos os condutores são retratados em um único segmento, que representa o eletroduto. Essa linha conecta todos os elementos elétricos por meio do espaço físico mostrado na planta. O traçado do eletroduto deve ser planejado tentando evitar interferências em outras instalações, como água, gás etc.

A ABNT também exige que os quadros de distribuição tenham espaços reservas para circuitos, conforme o estabelecido na NBR 5410:

– Quadro de até 6 circuitos: espaço reserva de 2 circuitos;

– Quadro de 7 a 12 circuitos: espaço reserva de 3 circuitos;

– Quadro de 13 a 30 circuitos: espaço reserva de 4 circuitos:

– Quadro acima de 30 circuitos: espaço reserva de 15% dos circuitos.

O diagrama deve estar sempre atualizado, refletindo eventuais mudanças que ocorram durante o processo de construção.

Deseja entender mais sobre o assunto, ou precisa de ajuda para elaborar uma instalação elétrica sem dificuldades? Visite nosso site e confira nossos serviços. Nós cuidamos da parte técnica para que sua construção não tenha problemas. Oferecemos diversos serviços na área de elétrica e automação, de acordo com suas necessidades.

Relacionados

NEWS LETTER

Cadastre seu e-mail e receba notícias e novidades